Diabetes e Doenças da Tireoide

tireoide

Poucas pessoas sabem, mas a Diabetes e as doenças da tireoide, como o Hipotireoidismo e o Hipertireoidismo estão indiretamente conectadas.

tireoide

A estimativa de pessoas que sofrem com doenças na tireoide é de 300 milhões em todo o mundo. Já a Diabetes cresce cada vez mais a cada ano, apresentando números alarmantes e, segundo a Organização Mundial da Saúde, mais de 422 milhões de adultos portam a doença.

Tanto a Diabetes tipo 1 quanto os distúrbios da tireoide são doenças autoimunes, ou seja, quanto o sistema imunológico ataca as próprias células por razões ainda desconhecidas. Pessoas que portam uma doença autoimune têm mais chances de desenvolver outras doenças autoimunes, ou seja, portadores de Diabetes tipo 1 são mais propensos a ter problemas na tireoide.

As mulheres com mais de 60 anos ou que entraram em trabalho de parto nos últimos 6 meses estão nos fatores de risco, e estudos afirmam que até 30% da população feminina com Diabetes tipo 1 têm um distúrbio tireoidiano. No entanto, homens também podem ser afetados com a doença.

Qual é a relação entre Diabetes e Distúrbios da Tireoide?

A  Diabetes é uma doença caracterizada pelo aumento da glicose no sangue (açúcar no sangue, hiperglicemia). Ela pode ocorrer pela falta ou baixa produção do hormônio insulina no pâncreas, que é responsável por levar o açúcar até as células. Quando há um defeito no funcionamento desse hormônio, a glicose fica acumulada no sangue, causando uma série de problemas para a saúde.

diabetes

Como a glândula da tireoide possui o cargo principal na regulação do metabolismo, distúrbios nessa área podem afetar diretamente no controle de Diabetes, principalmente nos índices glicêmicos.

Embora influenciem a alterações na Diabetes, e vice-versa, o Hipotireoidismo e Hipertireoidismo possuem efeitos diferentes.

Hipotireoidismo

Hipotireoidismo é uma doença que ocorre quando a glândula não produz hormônios suficientes, o T3 e o T4, fazendo com que o organismo funcione mais lentamente. Os sintomas podem ser de desaceleração dos batimentos cardíacos, sonolência excessiva, intestino preso, pele seca, perda de cabelo, ganho de peso e aumento do colesterol no sangue.

Embora raramente apresente ações que interferem nos níveis de glicose no sangue, os efeitos do Hipotireoidismo podem desencadear graves problemas para os portadores de Diabetes. O principal deles envolve anormalidades nos níveis de lipídios no sangue, incluindo o aumento do colesterol total, colesterol LDL (colesterol ruim) e aumento dos níveis de triglicérides.

Essas alterações geradas pelo Hipotireoidismo acabam aumentando o risco já elevado de doenças cardíacas, doenças cardiovasculares, AVC e derrames em diabéticos.

Hipertireoidismo

O Hipertireoidismo é o contrário do Hipotireoidismo. Ele ocorre quando a glândula produz em excesso os hormônios tireoidianos. Os principais sintomas dessa condição incluem sensação de calor, transpiração excessiva, batimentos cardíacos acelerados, fraqueza muscular, perda de peso e problemas nos olhos, como irritação ou desconforto. Quando em relação a Diabetes, é mais comum em pessoas com mais idade e com aumento do volume da glândula.

Os efeitos dessa doença na Diabetes pode fazem com que haja um aumento da glicemia, fazendo com que os portadores precisem de novos ajustes nos medicamentos ou insulina. Isso acontece porque os hormônios T3 e T4 estão em uma quantidade maior no sangue.

Como identificar os Sintomas?

Identificar os sintomas é uma tarefa um tanto quanto complicada para os portadores de Diabetes que também tenham doenças como Hipotireoidismo e Hipertireoidismo. Isso ocorre porque as relações entre os efeitos da Diabetes e dos distúrbios tireoidianos estão interligadas de forma complexa e parecida.

Perda de peso embora tendo apetite e fraqueza podem indicar tanto glicose no sangue cronicamente elevada ou Hipertireoidismo. Assim como Hipotireoidismo pode ser confundido com doença renal diabética severa, por apresentar sintomas como inchaço, hipertensão e ganho de peso.

O diagnóstico é feito através da dosagem de TSH, que deve ser realizada com frequência em portadores de Diabetes durante o tratamento. Nos casos de diabéticos tipo 1, a dosagem deve ser feita a cada ano. Nos casos de diabéticos tipo 2, deve ser realizada a cada cinco anos.

exame tsh

O tratamento é feito com a reposição de levotiroxina se for Hipotireoidismo. Se for Hipertireoidismo, é recomendado o uso de drogas antitireoidianos e, em alguns casos, é necessário cirurgia.

É muito importante que a percepção de problemas na tireoide ocorra o quanto antes, pois suas consequências podem ser extremamente graves em portadores de Diabetes.

Diabetes e problemas na Tireoide em relação à Gravidez

Distúrbios tireoidianos quando relacionados com a gravidez podem ser três vezes mais comuns em mulheres que portam Diabetes.

mulher gravida

Os níveis de hormônio da tireoide podem se alterar por causa da tireoide pós-parto. Entre os efeitos dessa condição no controle de glicemia e necessidade de insulina, os principais sintomas são:

  • Fadiga;
  • Depressão pós-parto;
  • Irritabilidade;
  • Palpitações no coração.

É extremamente necessário que um monitoramento seja mantido nas mulheres diabéticas que são afetadas com a tireoide pós-parto. A urgência é ainda maior porque elas têm mais chances de desenvolver Hipotireoidismo permanente nos anos seguintes após o parto.

Fontes:

https://www.diabetes.org.br/publico/temas-atuais-sbd/1097-quando-a-culpa-e-da-tireoide

http://www.scielo.br/pdf/abem/v49n2/a09v49n2.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *