Riscos e Tratamentos para a Diabetes Gestacional

A Diabetes Gestacional se desenvolve geralmente no terceiro mês de gravidez, devido as alterações hormonais causadas pela gestação.

mulher grávida

Essa condição afeta até 7% das mulheres, e se caracteriza pelo aumento no nível de açúcar no sangue. Uma vez diagnosticada, a doença persiste até o final da gravidez e, na maioria dos casos, desaparece após o parto. No entanto, mulheres que tiveram Diabetes na gestação têm mais chances de desenvolver Diabetes tipo 2 após a gravidez e, por isso, devem seguir todos os cuidados durante o tratamento.

Quais são as causas da Diabetes Gestacional?

A Diabetes Gestacional ocorre pelo mesmo motivo que a Diabetes normal, mas em uma situação diferente.

O que é Diabetes?

A Diabetes se caracteriza pela falta ou baixa produção do hormônio insulina, que é responsável por levar o açúcar até as células. Quando a quantidade de insulina não é suficiente para suprir as necessidades do organismo, o açúcar acaba indo para o sangue, causando uma série de problemas.

Isso pode acontecer porque há uma falha na produção no sistema imunológico que faz com que os anticorpos ataquem as células que produzem o hormônio insulina no pâncreas, como no caso de Diabetes tipo 1.

Já nos casos de Diabetes tipo 2, a pessoa sofre com uma resistência que seu próprio corpo cria contra a insulina. Isso faz com que o funcionamento das funções da insulina no organismo sejam prejudicadas porque o organismo não a usa corretamente para levar a glicose para as células.

O que é Diabetes Gestacional?

A placenta, que é responsável por ligar o bebê aos suprimentos de sangue da mãe, produz níveis muito altos de diversos hormônios. Esses hormônios acabam afetando a ação de insulina e, conforme o bebê cresce, a produção fica maior e pode causar sérios problemas de saúde tanto para a criança quanto para a mãe. O açúcar no sangue fica extremamente alto e, por isso, deve ser tratado durante toda gestação.

Quais são os Sintomas de Diabetes Gestacional?

Por se tratar de uma doença cujo sintomas são parecidos com os de gravidez, a Diabetes Gestacional raramente apresenta sintomas. No entanto, é importante ter atenção se notar:

  • Visão turva;
  • Vontade de urinar diversas vezes por dia;
  • Muita sede;
  • Muita fome;
  • Cansaço extremo;
  • Inchaço nos membros inferiores, como pernas e pés;
  • Excesso no ganho de peso da mãe ou do bebê.

Principais riscos da Diabetes Gestacional

Como dito anteriormente, tanto a mãe quanto o bebê correm risco de serem prejudicados por causa da Diabetes Gestacional, uma vez que o açúcar no sangue está alto para os dois. Embora o histórico de mulheres com complicações durante e pós a gravidez seja pequeno, é preciso que o tratamento e os cuidados para a Diabetes Gestacional sejam seguidos corretamente para evitar problemas futuros.

Riscos para o Bebê

Se caso a mãe for diagnosticada com Diabetes Gestacional, o bebê terá mais riscos de:

  • Nascer prematuro;
  • Ter peso excessivo ao nascer;
  • Desenvolver Síndrome do Desconforto Respiratório;
  • Ter hipoglicemia logo após o parto;
  • Desenvolver Diabetes tipo 2 no futuro.

A Diabete Gestacional não tratada por levar à morte do bebê antes ou após o nascimento.

Riscos para a Mãe

As mulher que porta Diabetes Gestacional tem mais chances de:

  • Ter o parto prematuro;
  • Aumentar os riscos de pré-eclampsia, que é a elevação súbita da pressão;
  • Desenvolver Diabetes tipo 2 no futuro;
  • Precisar de cesária para a realização do parto.

Tratamento para Diabetes Gestacional

O tratamento para Diabetes Gestacional geralmente consiste numa terapia nutricional, com uma dieta balanceada e pobre em carboidratos que possam aumentar os níveis de açúcar no sangue. Além disso, a prática regular de exercícios físicos também pode ser indicada pelo médico, para que o controle do peso seja estável.

grávida e alimentos

Em casos mais graves, a mulher precisa usar remédios hipoglicemiantes orais ou insulina para diminuir os índices de açúcar no sangue. Alguns hiperglicemiantes orais, como a Metformina, não devem ser utilizados na gravidez, porém o médico pode prescrever outros.

Dieta para Diabetes Gestacional

A dieta para a mulher que porta Diabetes Gestacional deve ser rica em fibras, pois alimentos como arroz e pães integrais dão mais saciedade e têm o índice glicêmico baixo, controlando o açúcar no sangue.

alimentos para diabetes

É importante não fazer uso de açúcar, mel ou geleias, e evitar refrigerantes e adoçantes. Se caso consumir, prefira as versões diet. É válido lembrar que nem todos alimentos diet fazem bem para a saúde, então sempre confira a tabela nutricional para avaliar a quantidade de açúcar e carboidratos.

O consumo de sal deve ser consideravelmente reduzido, e carnes gordurosas e frituras estão fora do cardápio. É necessário beber mais água e realizar pequenos lanches nos intervalos entre as refeições, pois eles ajudam a controlar a fome e o açúcar no sangue. Frutas com baixo nível de açúcar, como pêssego, tangerina e maçã, podem ser ingeridas em refeições como o café da manhã ou lanche da tarde, desde que seja de forma controlada.

 

Fontes:

http://www.scielo.br/pdf/abem/v55n7/02.pdf

https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/pdf/diabetes-gestacional/001-Diretrizes-SBD-Diabetes-Gestacional-pg192.pdf

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *